quarta-feira, 31 de março de 2010

    O que você (não) precisa saber sobre a Páscoa

    Bom, galera. Trago à vocês agora um post especial de Páscoa! Há muitas curiosidades que vocês deveriam saber sobre esse dia tão especial.... Taí, meu primeiro post à la Wikipédia Desciclopédia, hehehe...

    Como todo retardado sabe, Papai Noel e seus doendes (ou elfos), fabricam os presentes de Natal durante todo o ano, para depois distribuí-los para todos os pirralhos da Terra. Mas no caso do Coelhinho da Páscoa é diferente... Além dele trabalhar sozinho, o coitado ainda tem que botar mais de 6.000.000.000 (seis Bilhões) de ovos de chocolate! O que não é tão fácil e nem tão agradável como você deve pensar...

    Mas, por que mais de seis bilhões de ovos? Fácil: porque existem mais de seis bilhões de pessoas no planeta, e nenhuma delas deve ficar sem o seu - tão esperado - ovo genuíno de coelho (não é de galinha, nem de qualquer outra ave... é de coelho, e que isso fique bem claro!...). Que tal fazermos alguns cálculos?

    Veja bem: arredondando o números de humanos existentes para 6.000.000.000 (à fim de facilitar as contas), concluímos que o Coelho da Páscoa deve pôr, no mínimo, o mesmo número de ovos. Então:

    6.000.000.000 dividido por 365 dias (uma ano), podemos estimar que o coelho deve botar 16.438.356 ovos por dia. Achou pouco?

    Isso daria mais ou menos 666.598 ovos por hora! Ou 11.111 ovos por minuto! Uma média de 185 ovos por segundo!!! Logo a "cloaca" do coelho é uma metralhadora de ovos. Isso é inacreditável, não é? Diga adeus à sua AK-47 e compre já o seu coelho!

    Continuando com o nosso post sobre a Páscoa, vamos saber mais sobre a história desse animal tão fofinho... Como ele surgiu? Segue aí todo o histórico do bicho:

    Após uma crise mundial por culpa da Coca-Cola, que tinha criado seu personagem (o mundialmente conhecido Papai Noel), a Nestlé criou a data da Páscoa, que é aleatória para despistar todos e tudo. Mas junto com a criação dessa data, era preciso criar um ser imaginário, fictício, só de mentirinha, para enganar as crianças e ter alguma imagem que pudesse ser associada ao dia. Decidiram, então, criar o Coelhinho da Páscoa, que nada mais seria do que um coelhinho fofinho. Acontece que tudo saiu do controle quando Doctor Brown e Martin McFly trouxeram um dinossauro do passado para corrigir um erro e garantir que o Papa Bento XVI fosse batizado. Assim, o dinossauro fez sexo com o coelho e acabaram gerando um coelho gigante que anda sobre duas patas. Trata-se de um ser maléfico que tem como maior objetivo comer criancinhas inocentes (não sei em que sentido) e matar o Papai Noel.

    Bom, eu posso já ter ouvido algo sobre galinhas que põem ovos de ouro... mas uma coisa é certa: coelhas não põem ovos, coelhos muito menos, e de chocolate é que fudeu de vez... O certo é que 20 milhões de galinhas já se queixaram de estupro...

    Diante disso e outras, uma multidão furiosa composta por 40 mil mães de crianças humanas, 17 mil galinhas e 1 judeu, se formou na tentativa de linchar o Coelho da Páscoa. Ele foi obrigado a fugir e se esconder em algum lugar entre o Uberzquistão e a Terra do Nunca. Ainda hoje, seu paradeiro é desconhecido por todos.

    Mas e quanto as conspirações por trás da Páscoa? Sempre tem um dedo americano em qualquer coisa que você imagine... Essa data seria apenas mais uma influência capitalista estadunidense? O fato é que os pirralhos comem chocolate até melar o fiofó, enchendo os dentes de cáries e placas (ou sei lá o que mais).

    O fato, é que tudo isso é causado propositalmente, para enriquecer a indústria de materiais de higiene dos dentes (ou talvez, a Máfia das Fadas dos Dentes, já que como todos sabemos, é a tal fadinha que sempre vem buscar nossos dentinhos...)

    Outra causa para o abuso do chocolate, seria o patrocinio de algumas marcas suíças, que produzem seus chocolates com leite de vacas suíças, de touros suíços (leite de touro?!) e pó de café suíço.

    Com esse negócio milionário, os suíços (em parceria com os estadunidenses), mais uma vez tornam uma data cristã numa bela arrecadação de dólares para fundos de patrocínio aos terroristas, fazendo os Estados Unidos serem o que são hoje... E tudo isso graças a nós, que invejamos seu natal cheio de neve... E é assim que nós idolatramos, mesmo que sem querer, os nossos brothers do north.

    E eu acho que é isso! Encerro aqui mais um post super útil... Não sei quanto à vocês, mas eu ri muito enquanto fazia esse post. ;P

    Fonte: wikipedia.com desciclo.pedia.ws

    segunda-feira, 29 de março de 2010

    Apenas um fato estranho

    Sem ter nada pra fazer nesse fim de semana, escrevi alguns textos bobos (ou ao menos os comecei...). Na verdade, o único que ficou pronto foi esse aí embaixo. Surgiu de idéias antigas e talvez não faça muito sentido e nem seja tão legal. Mas pretendo escrever a continuação, assim que tiver disposição para pensar...

    É isso! Aproveitem, pois vocês não terão mais nada de mim hoje (e talvez, nem amanhã).

    PS.: Por favor, Comente! Quero ter noção de quantas pessoas irão realmente ler isso. ;P

    ==========

    Certo. Não sei por onde eu começo, mas aconteceu uma coisa incrível na minha vida alguns meses atrás. Eu já quis contá-la aqui há mais tempo, mas sempre algum tipo estranho de bloqueio mental me impedia. Mas nesse momento eu sinto que posso escrever. Ou, pelo menos, ainda me lembro do que aconteceu. Talvez mais a frente vocês me entendam. Ou melhor: não vão me entender. Provavelmente irão me chamar de louco...

    Bom, era apenas um dia normal da minha vida (ou, pelo menos, o  que eu acreditava ser normal...). Acordei com a droga do celular fazendo "piii-piii-piii-piii", como em qualquer dia, quando tenho que acordar mais cedo pra ir estudar. Fui pro banheiro, escovei os dentes, lavei o rosto, e depois tomei café.

    Terminando, troquei de roupa e voltei ao banheiro, pra dar uma última olhada no espelho.

    Nesse momento, aconteceu uma coisa estranha. Fiquei sem reação por um longo minuto e não sabia se aquilo que vi era real ou não.

    No momento em que entrei no banheiro, empurrando a porta, e deslizei meus olhos da maçaneta para a pia, pude ver o azulejo da parede no reflexo do espelho, através do meu ombro esquerdo! Isso não durou mais que um décimo de segundo, mas eu vi. Tudo estava se refletido normalmente no espelho, menos o meu ombro. Ele simplesmente não estava lá.

    Foi isso que aconteceu. Tentei acreditar que foi só minha imaginação, ou um raio de luz que entrou pela báscula do banheiro.

    Lavei meu rosto novamente e saí pra escola. Dia normal, embora aquela cena não saísse da minha cabeça.

    Vejo o relógio marcando 11:30h. Hora de voltar pra casa. Arrumo minha coisas e espero o sinal bater.

    Não. Não pode ter sido verdade! Quando saí da sala, de novo pude notar uma parte de mim faltando no meu reflexo, desta vez no bebedouro do corredor (daqueles de aço inox, quase um espelho). O meu braço direito, com o qual segurava a mochila, não se refletiu. Mas, da mesma forma que antes, isso durou apenas uma fração de segundo. Larguei a mochila no mesmo instante e olhei para a minha mão. Ela ainda estava ali, sólida e intacta.

    Algumas pessoas estranharam a minha reação, já que larguei a bolsa e parei de andar no meio daquele formigueiro de alunos. Me dei conta de que estava atrapalhando a passagem, peguei meu pertence pela alça e andei rápido para fora da escola.

    Mas que droga é essa, que estava acontecendo?!

    Durante todo o dia, tive medo do meu reflexo. Mas não aconteceu como esperava e, em todas as vezes em que me via no espelho, lá estava eu, com todas as partes no lugar. No dia seguinte também. Pensei que não havia nada de errado comigo e comecei a acreditar que foi apenas coisa da minha cabeça.

    Mas, verdade ou não, foi estranho e isso é fato! E eu não sabia o porquê de ter acontecido e nem se isso aconteceria novamente algum dia...

    ==========

    sexta-feira, 26 de março de 2010

    Pra quem ainda não conhece meu mundo...

    Não, galera! Eu não morri, se é o que vocês estão pensando... hehe. Como prometido, estou trazendo a vocês mais um post de duvidosa qualidade. Se vocês leram o post "Espasmos Criativos", sabem um pouco sobre a criação do meu "mundo". Bom, eu inventei pouca coisa à respeito da história, mas tenho várias páginas de anotações e acho que poderia compartilhá-las com vocês.

    Abaixo, há alguns dados sobre as cidades já criadas até o momento. Lógico que muita coisa será acrescentada posteriormente, de acordo com a evolução do contexto. É óbvio também que eu retirei algumas informações, que só poderão ser reveladas nos próximos capítulos. Hahaha!

    Está tudo aí, de maneira bem resumida:

    ==========

    LOCALIDADES:

    - ORNËG

    Ficava a noroeste do Deserto de Salugörn. O nome da cidade é mencionada nas confusas palavras de Hesppar, antes de morrer. Era uma vila pacífica, habitada apenas por humanos.

    - MITHRIL

    Fica a sudoeste do Deserto. A parte leste da cidade é cercada pela areia maldita de Salugörn, enquanto a parte oeste é cercada por montanhas. Embora perto do deserto, as montanhas são úmidas e existem rios na parte baixa. O único rio que corre pela parte leste das montanhas abastece a cidade de Mithril. A principal fonte de renda da cidade é a venda de equipamentos que envolvam forja, principalmente armas. Os melhores ferreiros se encontram nessa cidade. Produzem armas de qualidade excelente. Os maiores mercadores viajam frequentemente para Therion, a fim negociar seus produtos. É uma das poucas cidades ao redor do Deserto que não sofrem ataques de saqueadores, pois além de exímios ferreiros, os moradores são bravos guerreiros. É um lugar tranquilo. É habitado somente por humanos. Há quem diga, que descendem de anões. E que é esse o motivo de serem tão bons guerreiros e terem tanta habilidade com o manuseio do metal. De tempos em tempos, viajantes distantes chegam à cidade, em busca de boas armas.

    - THERION

    Localiza-se ao leste do Deserto. É uma cidade que vive do comércio. Recebe visitas de todo o tipo de pessoa. Comerciantes estrangeiros vêm à cidade para vender seus produtos ou comprar os que ali estão. A variedade de produtos é grande, devido à mistura de povos. É como se fosse uma grande feira... As ruas são movimentadas e barulhentas. Pessoas anunciam seus produtos pra todo o lado. Não poderiam faltar ladrões, misturados a multidão, é claro. As confusões são constantes e o policiamento é péssimo. O governo da cidade não é dos melhores, mas - quando faz alguma coisa - é rigoroso, punindo severamente o infrator em questão, com torturas ou pena de morte na maioria das vezes. Acredita que isso serve de exemplo e que evita futuros problemas. Ao contrário das outras cidades a cima, é um lugar conturbado, cheio de desordem. Mas não deixa de ser o melhor lugar para um intercâmbio de produtos ou culturas. É uma cidade humana, mas recebe visita de todo o tipo de raça.

    - DESERTO DE SALUGÖRN

    É o ponto de referência de tudo o que está pronto até aqui, em "My Story". É um grande mar de areia claras, que escondem perigos inimagináveis a viajantes desinformados sobre tal região. É a rota de acesso mais rápido entre as cidades que o circundam. É habitado principalmente por criaturas malignas, como os durogs, que vivem em acampamentos em meio ao deserto.

    - MAGMA

    Ainda não há muita informação sobre esse lugar. Se localiza ao sul do Deserto,depois de uma passagem mais estreita cercada de ambos os lados pelo oceano. Essa terra é coberta por vulcões, alguns deles ainda ativos. As cavernas infestadas de lava são o lar de estranhas criaturas que vivem em meio ao fogo. Foi lá que Hesppar, encontrou a pedra vermelha que está incrustada no medalhão de Kay.

    ==========

    Recadinho

    Olá pessoal! Não sei se perceberam, mas a frequência de posts diminuiu consideravelmente nos últimos dias. Só quero explicar que é por causa do meu trabalho. As últimas semanas realmente estão mais movimentadas que as anteriores, e então acaba não sobrando muito tempo para escrever - ou desenhar.

    Não pensem que minha fonte de criatividade secou. Pelo contrário: tenho vários posts digitados pela metade. Mas infelizmente, não consigo terminá-los.

    E uma coisa: minha intenção era fazer posts diários a partir desse mês. E veja bem: estamos no dia 26 de março e, até agora, tenho 27 postagens (28, contando com essa). Ou seja: teoricamente, ainda é mais de um post por dia, hehe... Mas, se Deus quiser, hoje mesmo trago alguma coisa legal pra vocês, nem que eu tenha de ficar na lan-house até às 10 horas da noite. ;p

    É só isso, por enquanto. Vejo vocês mas tarde... o/

    segunda-feira, 22 de março de 2010

    sexta-feira, 19 de março de 2010

    Tirinha - Não é óbvio?...

    Como eu já havia dito, desenhar essas tirinhas vicia mesmo... Hehe. Acho que não tenho nada melhor preparado pra postar hoje, então vamos a mais uma...

    quinta-feira, 18 de março de 2010

    quarta-feira, 17 de março de 2010

    Tirinha - Gogeto SSJ4 vs Vindemiatrix


    O que foi? Não teve graça?... É. Provavelmente só um elfo vai entender a piada...

    O que foi? Nem a minha explicação teve graça pra você?... É. Provavelmente o tal elfo está rindo da sua cara agora...

    Hehehe. Até a próxima. (Obs.: esse negócio de criar tirinha, vicia!...)

    terça-feira, 16 de março de 2010

    Tirinha - Porque devemos gostar do John...





    Hehehe... Alguém aí disse que não gosta de mim?...

    Ano passado, na sala de aula, eu costumava desenhar quadrinhos. Mas eles estão todos perdidos pelo mundo, em cadernos escolares de amigos meus... Mas agora me animei em voltar a desenhá-los.

    Tá, tudo bem... Já vai reclamar do estilo desse quadrinho?!... Poxa, tem tanta gente por aí copiando o Dr. Pepper que uma versão a mais nem vai fazer diferença. E, além do mais, os meus quadrinhos estão bem diferentes! (só porque não consegui copiar o Joselito igualzinho estava lá... Kkk). Como são minhas primeiras tirinhas feitas no computador (antes eu as desenhava num caderno), acho que elas devem melhorar, depois de algum tempo.

    Mas, bem! Então, nesse exato momento, inicio mais uma categoria de posts: as Tirinhas! Espero que curtam.

    Até mais!

    Resumo de O Senhor dos Anéis

    Bom, estou eu aqui de novo para mais um post inútil! Acho que O Senhor dos Anéis se tornará um tema frequente no meu Blog, e hoje trago a todos aqueles que entrarem por acaso aqui o resumo dos seis livros que compõem a trilogia (como disse Eduardo Rolim, autor do Toca do Elfo, cada livro tem 2 "livros").

    Não vou postar os resumos, mas sim os links para eles. Todos redirecionam para o Toca do Elfo. Segundo Eduardo, os resumos foram cedidos por um tal de Janez Brank, traduzidos do inglês por Luciano Soares e revisados por Imrahil, do site Valinor. Aí estão:

    Resumo de O Senhor dos Anéis - Livro I (A Sociedade do Anel)
    Resumo de O Senhor dos Anéis - Livro II (A Sociedade do Anel)
    Resumo de O Senhor dos Anéis - Livro III (As Duas Torres)
    Resumo de O Senhor dos Anéis - Livro IV (As Duas Torres)
    Resumo de O Senhor dos Anéis - Livro V (O Retorno do Rei)
    Resumo de O Senhor dos Anéis - Livro VI (O Retorno do Rei)


    O objetivo deste post é ajudar aqueles que procuram pelo resumo dos livros em sites de busca. E dar uma forcinha àqueles que teriam preguiça de ler a obra toda...


    Até a próxima!

    segunda-feira, 15 de março de 2010

    Espasmos criativos

    Há algo errado com minha mente. Penso demais. Imagino demais. Quando chega a noite, coloco a cabeça no travesseiro e então começa... Imagino pessoas. Não pessoas comuns, mas seres a percorrer caminhos tortuosos  num mundo fantástico, escondido em minha mente. Um mundo que fica maior e mais complexo a cada dia que passa. Um mundo que não me contento em deixar apenas lá, na minha obscura imaginação. Mas que teimo em relatar aqui. Sei que ainda não sou um bom escritor. Ainda. Mas são tantas idéias, que me sinto pressionado a escrevê-las.

    Um mundo extraordinariamente estranho,
    Habitado não apenas por humanos.
    Onde a vida é fadada a caminhos incertos
    Até mesmo por mim, inimagináveis.

    Numa tentativa de expandir meu mundo, criei terras até então desconhecidas. Imaginei pontos específicos, obstáculos imprevisíveis e uma pessoa capaz de transpô-los, numa aventura cujo o contexto ainda não sei. Onde tudo pode acontecer.

    Em uma de minhas viagens alucinadas através da mente, surge alguém. Um garoto cuja vida se transforma em meio duma pesarosa batalha. Em questão de dias, deixa de ser um mero habitante do Deserto e se torna um dos maiores guerreiros já exaltados em tal mundo. Alguém cujo povo teria orgulho, se ainda habitasse o maldito mar de areia conhecido como Salugörn. Um garoto que aceitou o seu destino, sem importar-se com o que haveria de acontecer.

    Adquiriu habilidades raras e incomuns. Com o tempo, aprendeu a controlá-las. Enfrentou inimigos de força incomparável, mas sempre superou limites e saiu vitorioso. Realizou feitos inesquecíveis. Conquistou amizades cujos laços resistiriam até mesmo à morte.

    Viveu durante o Segundo Mundo. Mas, no fim de tudo, fez dele um lugar totalmente novo, chamado Terceiro...

    \o/

    \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/
    \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/
    \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/
    \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/
    \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/ \o/

    Yeah! I'm very Happy! ;D

    sábado, 13 de março de 2010

    Seriam meus primeiros devaneios?...

    Gostaria de postar algo legal. Algo feito por mim. Que agradasse a qualquer um que lesse. Idéias de posts legais não me faltam. O que falta é disposição para escrevê-los,embora seja estranho estar indisposto mas desatinar a digitar isso, sem nem ter idéia do que falar no próximo parágrafo.

    Talvez deva falar sobre qualquer coisa. Sobre algo que não interesse a ninguém ou que nem mesmo faça sentido. Falar de mim, talvez. Das coisas que penso. Do que não sai da minha cabeça. Do que martela a minha consciência. Os meus segredos... Não. Ao menos por hora, não vou chegar a tanto... Kk.

    Estou aqui, em pleno sábado, sentado desconfortavelmente em frente ao meu computador de serviço. Enquanto digito essas palavras, ouço a épica trilha sonora de God of War II. O som forte dos tambores, misturados à "ópera" e à sinfonia (ora inaudível, ora ensurdecedora) me fazem bater freneticamente os pés no chão.

    Pelas pesquisas que andei fazendo, acho que o meu blog é, digamos, o melhor da minha cidade. Visitei todos os blogs que consegui encontrar, cujo autor assuma ser morador de Domingos Martins. Até olhei alguns de cidades próximas. O meu é o mais recente, o que é atualizado com mais frequência, o que possui mais posts, o que possui mais seguidores, o que tem o melhor visual (viva aos templates gratuitos! \o/). Enfim, ainda não vi nenhum Blog que supere o meu. (Como se essa droga fosse grande coisa...)

    (Acabei de ouvir o Kratos gritando "Ares!!", no início de uma das mais de 60 faixas que eu baixei.)

    Voltando ao assunto... Praticamente ninguém dessa cidade acessa o Blog, e muito menos lê o que escrevo (exceção a alguns amigos). Isso, provavelmente porque não o divulgo por aqui. Cidade pequena. Talvez se alguém visse meu rosto, lá em algum post, me reconheceria na rua. Isso seria bom, certo? Errado!

    Odeio me expor, e isso é natural de mim. Evito falar de mim até mesmo aqui, embora algumas vezes já tive vontade de fazer isso. Talvez hoje seja um começo.

    (Alguém deve estar pensando agora: "Poh@! Primeiro, esse John coloca um visual extremamente gay no Blog. E, agora isso... Vai começar a falar da vida dele! Ah não... Vou procurar outro Blog pra acompanhar, um que realmente fale de games, animes e essas coisas!" Kkk...)

    É só isso. Não vou me arriscar por enquanto, falando coisas que eu não deveria. Embora talvez, eu apenas ache que não deva falar, quando na verdade seria o certo a ser feito.

    Devaneios à parte, quero avisar aos "leitores" que não vai haver posts durante o fim de semana. Retorno na segunda, com alguma coisa interessante (ou não).

    Até lá...

    sexta-feira, 12 de março de 2010

    No Comment! - Lowrider Rustic Style!

    Dados - Parte 4 - Talvez um Top 3

    Depois de todo esse tempo, adquiri num sei da onde um pouco de disposição para escrever a quarta e última parte de Dados (até que enfim!). Já citei muita informação sobre visitas, pageviews e coisa e tal. E agora é vez dos Recordes. Das incríveis marcas atingidas pelo meu Blog. Dos mais e dos menos.

    Vamos lá!... O primeiro post publicado foi este: Apresentação. Por incrível que pareça, ele recebeu um comentário.

    Quanto aos posts mais visualizados (desde que comecei a usar o Google Analytics, em 20 de agosto de 2010), o resultado até o exato momento é o seguinte :

    1st: Detonado de Shadow of the Colossus (PS2). Ele já teve 1.909 visualizações.
    2nd: Dicas de Shadow of the Colossus (PS2), com 1.364 visualizações.
    3rd: Página Principal. 661 acessos.

    Os posts menos visualizados, em geral, infelizmente são as minhas histórias. Você pode ajudar, clicando aqui, lendo e comentando, se quiser: My Story.

    Comentários sempre são bem vindos em um Blog (desde que não esculachem o autor). Os posts mais comentados são esses (lógico, sem contar os comentários que eu mesmo fiz):

    1st: Dicas de Shadow of the Colossus (PS2). Possui 14 comentários.
    2nd: Detonado de Shadow of the Colossus (PS2), com 6 comentários.
    3rd: "Playstation, Playstation!...". 3 comentários anônimos.

    Os posts menos comentados, em geral, são o restante do Blog... Hehe. ¬¬

    Dias com mais visitas:

    1st: 23 de janeiro de 2010. O Blog contou com 54 visitantes nesse dia.
    2nd: 15 de fevereiro de 2010, com 51 visitantes.
    3rd: 27 de fevereiro de 2010. 48 visitas.

    Agora, quanto aos dias com maior quantidade de páginas visualizadas:

    1st: 15 de fevereiro de 2010. Incríveis 183 pageviews.
    2nd: 27 de fevereiro de 2010, com 126 pageviews
    3rd: 11 de março de 2010. 97 pageviews.

    Por mais incrível que pareça, Shadow of the Colossus não foi o conteúdo mais acessado. Nesses três dias, a homepage do meu Blog foi visualizada 178 vezes, enquanto a soma dos pageviews das dicas e detonados não passou de 50.

    No total, 3.834 brasileiros visualizaram pelo menos uma página desse Blog, até agora. As cidades (ou regiões) que mais acessaram foram estas:

    1st: São Paulo. 670 visitas vêm dessa cidade.
    2nd: Rio de Janeiro, com 386 visitas.
    3rd: Vitória. 279 visitas. ( \o/ moro em Domingos Martins, mas as visitas aqui da minha cidade são somadas às da capital)

    Agora, vamos aos posts visualizados por mais tempo:

    1st: Dicas de Shadow of the Colossus (PS2). Média de tempo: 37 minutos e 56 segundos.
    2nd: Detonado de Shadow of the Colossus (PS2), com a média de 15 minutos e 36 segundos.
    3rd: Os fatos sobre seu cocô. Média de 14 minutos e 57 segundos.

    O conteúdo do Blog chegou à 201 cidades brasileiras, além de 8 cidades americanas e 1 européia. E adivinha qual o conteúdo acessado pelos estrangeiros? É necessário falar que foi Shadow of the Colossus?... ¬¬ Eles entram no Blog ainda mais sem querer do que os brasileiros, vêem que é tudo em português, não entendem poh@ nenhuma nada do que está escrito e saem na mesma hora...

    Mas enfim... É isso! Como toda trilogia deve ter um fim, chega de Dados (uma trilogia não deveria ter apenas três partes?...).

    Que seja, até o próximo post!

    Tentativa de mudança

    Ea eam labores imperdiet, apeirian democritum ei nam isso é Latin?!?, doming neglegentur ad vis, blá blá blá...

    Hehehe... E dá-lhe Lorem ipsum, então!! (eu nem sei o que isso significa...).

    Eu passei a tarde de hoje praticamente inteira em busca de um template legal pra mudar o visual do Blog. Eu já havia tentado tal façanha no ano passado, mas não obtive sucesso. E o máximo que pude conseguir hoje foi esse novo visual. Vai ser temporário, até eu encontrar um melhor. Talvez esse post esteja sendo em vão e eu retorne ao velho fundo branco hoje mesmo (eu ia dizer amanhã, mas me dei conta de que já passou da meia-noite...).

    Isso é tudo (como se alguém se importasse com minhas explicações).

    Até mais tarde! (ou mais cedo, que seja... ¬¬)

    quinta-feira, 11 de março de 2010

    Problemas? Isso aqui te ajuda...

    Peço desculpas pela falta de conteúdo, mas é que meu dia foi intediante e acabei não preparando post nenhum.

    Estou meio sem tempo agora, também. Mas pra não dizer que eu não escrevi nada, eis aqui um simples esquema que pode te dizer se está livre de uma bronca ou não...

    quarta-feira, 10 de março de 2010

    No Comment! - Error 404

    terça-feira, 9 de março de 2010

    "My Story" - Sonhos

    Nunca estive tão animado em escrever esse troço, embora ninguém leia. Daqui alguns capítulos encerro a minha primeira história. Isso mesmo! Ou acha que eu vou escrever apenas "My Story" pra sempre?... Muitas outras virão, podem esperar isso. Sem mais delongas, aí está, em primeira mão... Mais um capítulo avulso. Boa leitura.

    ==========

    Pela terceira noite consecutiva, ela estava tendo o mesmo sonho conturbado. Em um ambiente de luz intensa, via um garoto com uma espada transpassada no peito, ajoelhado. Ela estava de pé, em frente a ele. Podia ver seus olhos vazios, enquanto seu corpo pendia lentamente em direção ao chão. A poucos metros, podia sentir a presença de um homem, mas não o via, pois o local onde ele se encontrava era estranhamente escuro. O homem gargalhava discretamente, enquanto a escuridão que o envolvia se tornava maior e mais intensa, abraçando toda a claridade que ela via no sonho. Agora podia ver apenas o que a luz fraca emitida pela espada permitia enxergar. O peito do garoto brilhava, junto à arma de metal frio. O rapaz ainda tombava em sua direção, embora parecesse que nunca tocaria o solo, pois caía devagar, como se houvesse pouca gravidade no local. Nesse momento, ela involuntariamente tocou a face do garoto com a ponta dos dedos. Ele fechou os olhos, na mesma velocidade em que caía, bem devagar. Mas, em uma fração de segundo eles se abriram, agora com a cor mais vívida e intensa possível. Ele à encarava, mas de forma gentil. Então a luz que envolvia a espada, ainda no peito perfurado, intensificou-se de forma ofuscante, dissolvendo as trevas e estancando a gargalhada do homem, cuja presença desapareceu com a luz. Não se via nada, além da cor branca, capaz de ferir os olhos.

    -Elyn! - disse um voz preocupada. - Ei, Elyn! Acorde. O que está acontecendo aqui?

    -Hein? O que? - disse a garota, procurando o rapaz com a espada transposta no tórax.

    -Está tendo outro pesadelo? Ouvi você se debatendo na cama, lá do meu quarto. Está tudo bem?

    Só então, a garota percebeu que tudo não passou de um sonho. O mesmo sonho repetido das noites anteriores.

    -Oh... Sim - disse Elyn. - Estou bem, mãe. Não se preocupe com nada. Acordei o papai também?

    -Não. Continua imóvel na cama. Ultimamente, o trabalho o tem deixado exausto. Não acordaria nem se a casa estivesse em chamas...

    Elyn deu uma curta gargalhada.

    -Eu quero que a situação dele melhore logo. Nunca vi o papai tão atarefado assim... Mas, mãe, pode voltar pra cama. Estou bem. Obrigada por se preocupar.

    -Tem certeza?

    -Uhum. - disse, com um sorriso aberto no rosto pálido.

    Elyn recebeu um beijo breve na testa e então sua mãe saiu do quarto. A garota pegou o cobertor, que havia caído no chão durante a noite. Levantou os pés para cima da cama e permaneceu sentada, abraçando as pernas. Ficou assim por um longo tempo, pensando no sonho. Três vezes o mesmo sonho, idêntico.

    "O que é isso, agora?", pensou ela, "Nunca tive sonhos intensos antes. E agora, tenho essa visão. Não é um sonho, tenho certeza. É uma visão! E é a mesma coisa todos os dias. É tudo muito estranho, eu sei, mas aquela cena, embora tão surreal, me parece familiar." Fechou os olhos, tentando buscar lembranças, mas foi em vão. "Não adianta! Não me lembro do meu passado. Talvez a visão não tenha nada há ver com ele, mas mesmo assim gostaria de saber o que é."

    Levantou-se e andou até a janela, ao lado da cabeceira da cama. Se apoiou com os cotovelos na janela, pendendo os braços para fora, na noite fria, juntando as mãos, entrelaçando os dedos. A vista dava para o oeste, onde a lua quase cheia iluminava friamente o deserto. Abaixo da janela se estendia, por algumas centenas de metros, a cidade de Therion. Ainda faltavam algumas horas para o sol aparecer e iluminar completamente a cidade, e por enquanto só era possível ver o que a luz da lua e estrelas permitiam. Elyn, deixando os olhos vagarem livremente pela paisagem seca e escura, pensou por mais alguns minutos. "É como se algo me prendesse à essa cidade. Viajei por esse mundo mais do que qualquer outra pessoa. Minha atual família adotiva é boa. Gosto deles. Mas não é por isso que permaneço em Therion..."

    Enfim recolheu os braços, já quase dormentes, e deu um longo suspiro. Se arrastou até a cama e deitou, envolvendo-se parcialmente com o cobertor.

    Fechou os olhos e desejou ter um sonho diferente, onde conseguisse respostas, ao invés de mais perguntas.

    ==========

    segunda-feira, 8 de março de 2010

    Parabéns para mim!


    Post super rápido! Só pra dizer que hoje é o meu aniversário de 18 anos. \o/ Yeah! Cantem comigo, pessoal: "Jingle Bells, Jingle Bells!..." Ops! Música errada... Mas não importa. O que vale é comemorar.

    (Sim, sim. Tou eufórico mesmo! E daí?...) Não é todo dia que fazemos 18 anos. Pelos meus cálculos, esse dia só acontece uma vez na vida de uma pessoa.

    Já recebi os parabéns de três pessoas hoje, além de 9 recados no Orkut (wow... ¬¬). E festa pra que? Vou pra casa agora, comer hambúrguer (feito por mim), como em qualquer dia normal da minha vida.

    É isso! Té mais

    "My Story" - Capítulo I (Remake)

    Olá, fãs assíduos de "My Story"! Vou ser breve: mudei de idéia. Não vou reescrever os primeiros capítulos. Afinal, demorei pacas para escrevê-los e acho que prefiro deixá-los como estão. Também, assim é possível notar a diferença entre a narrativa de cada capítulo. A única parte que sofreu algumas modificações (somente na narrativa, o contexto continua o mesmo) foi o Capítulo I. Por isso o estou postando novamente. Boa leitura (ou não).

    ==========

    MY STORY - CAPÍTULO I

    Ele estava cansado. Já estava há dias naquela batalha horrível. Havia perdido a conta de quantas pessoas próximas a ele perderam a vida. A única coisa que permanecia inalterada em sua mente eram as últimas palavras de seu pai. Se lembrava claramente das pernas separadas do corpo, ainda se contraindo involuntariamente, enquanto as braços, machucados e cheios de sangue, lhe entregavam aquela coisa... A coisa que custou sua morte. Voltando de seus pensamentos, ele aperta entre os dedos a tal coisa, um medalhão, para que ele não escape de sua mão suja e ferida. Num salto, por puro reflexo, ele desvia da bola de fogo verde que vinha em sua direção, ela passa sobre sua cabeça e abre uma cratera ao colidir com o solo, bem na sua frente.

    Naquele cenário, era impossível raciocinar. Não tinha tempo para pensar no que seu pai havia dito, antes de sua inevitável morte: “Filho... Tome. Isso agora pertence a você... Por favor... Não... Cinco pedras... As sombras de Ornëg... Isso pode...” Isso foi tudo o que o bravo guerreiro conseguiu proferir, mesmo em seu estado. Nada que fizesse muito sentido ao garoto.

    Ele então pára de correr. Olha para trás, por cima do ombro. É possível ver dezenas, ou melhor, centenas de durogs correndo em sua direção, com punhais, espadas, lanças, "cavalgando" em seus lagartos gigantes revestidos de metal, cuspindo para o alto, labaredas de fogo.

    Ele se vira por completo e observa o chão daquele deserto, manchado com o sangue pegajoso e azulado daqueles lagartos imundos. Mas também vê, entre as crateras, corpos, e armas, o sangue vermelho de seu povo. Se lembra daqueles que o acompanhavam. Daqueles que o ajudavam. Daqueles que o amavam.

    Daqueles que ele amava...

    Uma fúria toma conta de si. Ele se sente queimando por dentro. Nunca havia se sentido tão forte e capaz enfrentar sozinho aqueles monstros devoradores de carne humana.

    O lagarto que parecia ser algum tipo de comandante, gritava algumas palavras em sua língua asquerosa, que parecia mais um guinchado, enquanto corria e se aproximava cada vez mais do último sobrevivente humano da guerra.

    O rapaz não sabe exatamente o que ele disse, mas sabia que sua situação não era nada favorável.

    Ele olha para o objeto, que ocupa metade da sua mão. Nota seu formato circular, e sua cor prateada, porém envelhecida pelo tempo. Há um furo no centro, e cinco semi-círculos em baixo-relevo ao redor desse furo, com os formatos parecidos com luas. Porém, dois desses espaços estão preenchidos, com uma pedra em cada. A pedra de cor azul possui uma cor pálida, fria. Mas a vermelha, parece estar viva... Em chamas!

    O medalhão é pendurado em seu pescoço, pela fina corrente, também de prata escurecida.

    O poderoso durog que conduzia seu exército, viu o gesto do rapaz e a nova expressão que surgia em sua face. Desesperado, grunhiu mais algumas coisas, como se fosse uma ordem.

    No mesmo instante, todos os seus subordinados pararam, e como se não possuíssem mais poder algum, deram meia volta. Em pânico, corriam o mais depressa que podiam para tentar escapar de seu infeliz destino...

    O comandante apenas permaneceu imóvel, olhando para o rapaz. Suas pálpebras se fecharam horizontalmente, enquanto ressonava mais alguns sons, inaudíveis. Foi o último lamento do mais forte dos répteis que já habitou o deserto de Salugörn...

    Lágrimas saíam dos olhos do Filho de Hesppar. Eram lágrimas de ódio. De rancor. Porém, de alguma forma, eram também de uma certa alegria, uma excitação. Pois agora, sentia que tudo ia acabar. A coisa pesava em seu pescoço...

    Suas lágrimas secavam no mesmo momento em que escorriam pelo rosto. O calor emanado pela pedra vermelha, era sufocante. Ele sentia seu coração ser tomado por um sentimento que não era seu...

    Ergueu a sua mão. Sentiu o poder da pedra fluir em cada célula do seu corpo.

    Uma intensa luz não o deixava ver mais nada. Apenas ouvia os gritos distantes dos durogs e um som, como quando uma fogueira tem suas chamas espalhadas pelo vento.

    A luz que ele via, aos poucos se apagava e se tornava escura...

    Agora, só escutava um som constante e agudo que parecia atravessar sua cabeça como a lâmina de uma espada.

    O som diminuiu, até sumir no vazio...

    A pedra adormecia novamente...

    ==========

    Meu interesse por élfico e Tolkien

    Olá mais uma vez, pessoal! (O "pessoal" continua fazendo referência à meia dúzia de pessoas...). Há vários dias, comecei a pensar neste post. É sem dúvida um dos assuntos que mais chamam a minha atenção. Se você gosta de "O Senhor dos Anéis" tanto quanto eu, sabe disso. Se não gosta, azar o seu...

    Bom, no final de 2008, eu tive um trabalho de literatura na escola que consistia em ler um livro qualquer e depois explicar, resumidamente, a história para o restante da turma. Fui pra excelente biblioteca da escola, onde havia uma ampla gama de livros dos mais variados tipos a escolher (na verdade, sempre que procurava um livro em especial, nunca o achava...). E olhando monotonamente livro após livros na estante de contos, aventura e companhia, não acreditei quando li o título "O Senhor dos Anéis" na capa de um deles. A capa impressa tinha o desenho original, criado por Tolkien. Mas eu não poderia saber, porque até então não possuía o mínimo interesse por OSDA (O Senhor dos Anéis, abreviado). "Legal...", eu pensei, "Ah. Mas não deve ter nada há ver com aqueles filmes. Deve ter só o nome igual, por coincidência." Então, abri o livro pra conferir. Na primeira página onde havia conteúdo eu li:

    "Três Anéis para os Reis-Élficos sob este céu,
    Sete para os Senhores-Anões em seus rochosos corredores,
    Nove para Homens Mortais, fadados ao eterno sono,
    Um para o Senhor do Escuro em seu escuro trono
    Na Terra de Mordor onde as Sombras se deitam.
    Um Anel para a todos governar,
    Um Anel para encontrá-los,
    Um Anel para a todos trazer e na escuridão aprisioná-los
    Na Terra de Mordor onde as Sombras se deitam."

    Folheei algumas páginas, até que eu passei o olho em um nome familiar: Frodo! E com uma rápida lida nas primeiras páginas, confirmei: "Wow! É mesmo O Senhor dos Anéis!" (dã...). Não tive outra escolha, a não ser pegar o tal livro. Havia um prazo de 30 dias para lê-lo, antes de apresentar o trabalho. Não houve problema algum: li mais de 600 páginas em 10 dias, o livro todo. Realmente, OSDA me fascinou. Desde então, me interessei por Tolkien e sempre busco mais e mais informação sobre suas obras e os seus mundos.

    Enfim, mesmo este post se tornando absurdamente maior do que eu planejava, uma das coisas que mais me chama a atenção em OSDA é a língua utilizada. Tolkien, como ele mesmo disse, tinha "Um Vício Secreto": o hábito peculiar de inventar idiomas derivados de linguagens primitivas. Um dos meus passatempos, é adquirir conhecimento sobre o élfico, a forma escrita da língua falada pelos Elfos. Eu fico intrigado em saber que esse homem elaborou tantas línguas, cada uma com regras próprias. Eu não sei como escrever aqui a complexidade do assunto. Faz pouco mais de um ano que eu junto informação sobre Tolkien, seus mundos e suas línguas. Mas é uma coisa que você vai entender, se fizer como eu, lendo, pesquisando... Já cheguei a pensar: "Poxa! É mentira... Não tem como alguém inventar tudo isso do nada!" É frustrante... Mas é verdade.

    Segue abaixo conteúdo de um dos sites que eu visito frequentemente... Assim você conhece um pouquinho mais sobre Tolkien...
    -----
    J. R. R. Tolkien (John Ronald Reuel Tolkien, o autor), ainda é um nome pouco conhecido no Brasil, mas em muitos outros países e em especial na Europa, ele é conhecido como sendo o criador da Alta-Fantasia. Seus livros narram histórias sobre terras míticas, povos maravilhosos, grandiosas batalhas, lendas heróicas e mitos perdidos sobre os primórdios do mundo. Tolkien foi um escritor muito detalhista. Tanto, que para ele não bastava escrever uma história... ela deveria EXISTIR!

    Seus mundos inventados tiveram idiomas, geografia, fauna, flora, costumes e outros detalhes tão bem estudados e criados que até mesmo os leitores mais detalhistas não encontraram falhas em sua narrativa.

    As línguas foram criadas por Tolkien para uso em suas histórias. Apesar de, na prática, nenhuma dessas línguas haver existido ou mesmo ser utilizada, elas são funcionais.

    Existem alguns grupos de admiradores de Tolkien pelo mundo que estudam e falam o Alto Élfico, chamado de Quenya. Infelizmente o professor não deixou detalhes sobre o funcionamento de todos os seus idiomas inventados (aliás, o professor não deixou explicações detalhadas sobre o funcionamento de nenhuma das suas várias línguas fictícias) e muito do que se sabe sobre elas é fruto do estudo das entrelinhas de seus livros.

    O que realmente passa pela cabeça de um homem que todos os dias fica brincando com intrincadas regras lingüísticas, com idiomas que nunca existiram fora de sua própria imaginação? Em primeiro lugar, tem que ficar perfeitamente claro: ele fez muitos idiomas que nunca chegaram a ser utilizados em suas histórias. Existem alguns poemas em élfico, e um enxame de palavras exóticas que nunca apareceram em seus livros. A lista de palavras publicadas por Tolkien tem cerca de doze mil itens, e Tolkien nunca criava palavras sem um motivo... Estamos falando de complexas construções linguísticas... Como isso começou? Como terminou? E por que?
    -----
    Eu poderia transcrever, ou mesmo escrever, muito mais coisa aqui... Mas creio que nem todos teriam paciência pra ler tudo (como se alguém estivesse lendo essa minha ridícula síntese...). Se você se interessou pelo o assunto, as respostas para as perguntas acima estão aqui, é só clicar: Como Tolkien criava suas línguas?. Explore o site. Para iniciantes no estudo sobre OSDA e outras obras de Tolkien, acho que é um dos lugares certos.

    Por enquanto é só... E como talvez diriam os elfos: Hantanyel tulesselyanenElen síla lúmenn' omentielvo! (Agradeço por vir. Uma estrela brilha na hora de nosso encontro!)

    sexta-feira, 5 de março de 2010

    No Comment! - Combo Breaker, afinal...


    Pra quem não entendeu, são os presidentes do Estados Unidos...

    C-C-Combo Breaker?!

    Olá de novo... Lembram quando eu disse que por causa do trabalho eu não iria conseguir atualizar o Blog diariamente, como pretendia?... Pois é, me enganei. Hehe.

    Notaram (o uso do plural é desnecessário, eu sei...) que essa semana eu cheguei a fazer dois posts em alguns dias? Só fiquei chateado porque não consegui terminar o post de hoje. =/

    Hmm... Esse post aqui, na verdade, é só pra não quebrar essa incrível marca alcançada... Espero que o Combo Breaker esteja longe de acontecer.

    Até amanhã!

    quinta-feira, 4 de março de 2010

    Eu e Van Gogh...

    Estava eu certa noite sem acesso à internet, e sentado na beirada da cama. Ainda não tinha tomado banho, depois de chegar na casa da minha tia (que é onde eu dormia várias vezes por semana, ano passado) e estava entediado demais pra levantar. Aí, eu olho pro lado e vejo minha mochila no canto da cama... Abro, pego o caderno e um lápis, sem o menor interesse em desenhar. Então eu vejo o quarto à minha frente! "Isso!" (como se eu não tivesse coisa melhor pra desenhar...). Rabisquei um porta no canto da folha... Depois veio um cesto de roupa suja, um armário, caixas em cima do armário e... Tã dã!! Uma horrenda bela obra de arte aparece! Hehehe...

    Tá legal, confesso... Esse desenho ficou ridículo. Mas preste atenção: você consegue notar a semelhança com os quadros do pintor pós-impressionista Van Gogh?...